Poeta Abraão Marinho
Fracassado não é aquele que perdeu uma luta, mas aquele que desistiu da guerra.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


NESTA MADRUGADA

Nesta madrugada abraço meus anseios,
Furto versos do luar que está perdido,
Tento desconectar a ilusão e o devaneio
E rebuscar o doce passo do infinito.
 
Pairo sobre os céus da solidão,
Transpasso as nuvens de meus desertos,
Concedo à alma um destino em contramão
Àquilo que, incautamente pareça incerto.
 
Não mais que lentamente transcrevo
Às dúvidas que vivem em meus resquícios,
Quando da fúria surge o amargo trevo
Há no horizonte o nascer de um vício.
 
Vício esse que em derrocada à escuridão
Dá-me calma em noites devastadas;
O vício que ora liberta a ilusão,
Ora acorrenta a pureza da alma.
 
Vício esse que me leva ao invisível,
Dá-me encantos em espinhos dissuadidos,
Dá-me luz como cortina de fumaça
Para que não almeje um novo trilho.
 
Nesta madrugada reflito minhas lágrimas
No espelho da imensidão do desconhecido;
No espelho da poesia submersa em calma
Dentro de um amanhecer menos sofrido.

Itacoatiara-AM, 31 de agosto de 2019.
Abraão Marinho
Enviado por Abraão Marinho em 31/08/2019
Alterado em 31/08/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários